MADEIRA Meteorologia

CDS propõe revisão do plano regional de apoio ao desporto

Data de publicação
20 Maio 2024
15:57

O CDS, através da candidatura ‘Responsabilidade e Renovação’, encabeçada por José Manuel Rodrigues, propôs, esta manhã, a revisão do plano regional de apoio ao desporto.

O partido reuniu-se com a direção do C.S. Marítimo e C.D. Nacional, no sentido de perceber quais as suas principais preocupações. Carlos André e Rui Alves, respetivos presidentes, revelaram ao cabeça-de-lista os desafios que enfrentam os dois clubes no futebol profissional.

“O CDS entende que o desporto profissional é uma forma de afirmar a Madeira num contexto nacional e é desse ponto de vista que os clubes são referências da identidade madeirense”, começou por referir José Manuel Rodrigues.

“O desporto é um investimento para a Região porque tem retorno económico e social. Retorno económico, através da divulgação da Madeira no todo nacional e até europeu; em termos de receitas fiscais, quer em termos de IRS, IVA e contribuições para a segurança social, mas também pelos impostos que são pagos quando recebem direitos televisivos. Retorno social porque envolve uma parte significativa da população (calculamos que 20% da população entre atletas, treinadores nas diversas competições e famílias, 20% da população da Madeira está envolvida em atividades desportivas); para além disso, os clubes também são um chamariz para a própria prática desportiva de lazer de toda a população. Ou seja, movimentam muita gente e devem ser considerados no plano político”, acrescentou.

Neste sentido, o CDS defende uma revisão do plano de apoio ao desporto na Região Autónoma da Madeira. Segundo José Manuel Rodrigues, “os clubes, designadamente o Marítimo e o Nacional, estão a receber verbas inferiores, comparativamente ao que recebiam há 30 anos, quer estejam na primeira liga, quer estejam na segunda liga”. E explicou ainda que “todos os custos subiram”, logo, “não faz sentido que tenham descido as subvenções e que nem sequer tivessem sido atualizadas ao valor da inflação anual”.

No seu entender, “é por esta razão que o desporto profissional na Madeira tem vindo a enfraquecer, não só no futebol, mas também noutras modalidades”.

“O CDS-PP quer inverter esta situação, colocando o desporto profissional num plano cimeiro como já o tivemos na Região”, disse o presidente dos centristas na Madeira. E explicou que “isso só será possível, atualizando os valores que estão previstos e dando mais apoios públicos, dentro dos objetivos que estão plasmados no Plano Regional de Apoio ao Desporto”, frisou.

Neste momento, estão previstos doze milhões e quinhentos mil euros para o desporto profissional. O Nacional e o Marítimo receberam 875 mil euros por estarem na segunda liga. O Nacional, passará a receber na primeira liga, se se mantiverem estes apoios, um milhão, setecentos e cinquenta mil euros.

O candidato do CDS às regionais afiançou que “com estas verbas, o Nacional vai estar num sobe e desce, e o Marítimo vai lutar para não descer de escalão”.

José Manuel Rodrigues vincou que “o que o CDS pretende é que as duas equipas estejam no primeiro plano do Futebol Profissional. Esta é uma questão que tem a ver com a governação regional, está escrita no manifesto eleitoral do CDS-PP e foi por isso que hoje reunimos com os dois maiores clubes da Madeira”.

OPINIÃO EM DESTAQUE

88.8 RJM Rádio Jornal da Madeira RÁDIO 88.8 RJM MADEIRA

Ligue-se às Redes RJM 88.8FM

Emissão Online

Em direto

Ouvir Agora
INQUÉRITO / SONDAGEM

Considera que o novo governo vai cumprir o mandato?

Enviar Resultados

Mais Lidas

Últimas