MADEIRA Meteorologia

Advogada de Idalina Perestrelo diz que “foi feita justiça” e lamenta “aproveitamento político”

Marco Milho

Jornalista

Data de publicação
21 Fevereiro 2024
15:34

Kátia Freitas Vieira, advogada de Idalina Perestrelo, entendeu que “foi feita justiça” com a absolvição da ex-vice-presidente da Câmara do Funchal e do então responsável pelos jardins do município no caso da queda da árvore do Monte, em 2017.

À saída do Tribunal da Comarca da Madeira, a representante da antiga autarca apontou falhas à forma como o Ministério Público (MP) conduziu a investigação, mas frisou que, no final, “fez-se justiça”.

”O MP falhou muito, quer na fase de inquérito, quer na fase de instrução, mas agora não. Na fase de julgamento, o MP foi totalmente isento e extremamente profissional. Estamos muito satisfeitos, fez-se justiça”, começou por dizer.

Kátia Vieira reforçou que Idalina Perestrelo e Francisco Andrade “não tinham rigorosamente nada a ver com a queda da árvore”, que entendeu ter sido um evento trágico, mas imprevisível.

“Há tragédias, há fatalidades, ocorreu a queda de uma árvore como ocorreu o 20 de Fevereiro. É óbvio que estamos solidários com as famílias das vítimas e com as pessoas que ficaram feridas, mas estes sete anos foram uma tragédia para a vida da dra. Idalina e do engenheiro Francisco. Foi feita justiça”, acrescentou.

A advogada criticou ainda o que classificou como “aproveitamento político, da esquerda à direita”.

”Estamos a falar de pessoas, de entes queridos que partiram”, frisou lamentando que houve quem “quisesse tirar vantagem” do processo.

OPINIÃO EM DESTAQUE

88.8 RJM Rádio Jornal da Madeira RÁDIO 88.8 RJM MADEIRA

Ligue-se às Redes RJM 88.8FM

Emissão Online

Em direto

Ouvir Agora
INQUÉRITO / SONDAGEM

Qual o seu grau de satisfação com a liberdade que o 25 de Abril trouxe para os madeirenses?

Enviar Resultados
RJM PODCASTS

Mais Lidas

Últimas