Jornadas Madeira 2021: “Não sou candidato porque não quero”, diz Idalino Vasconcelos

Em resposta a Luís Bettencourt, Idalino Vasconcelos garante que é escolha sua não voltar a ser candidato à autarquia porto-santense.

“Ninguém me correu. Não sou candidato porque não quero. Achei que me devia retirar. Não senti o apoio popular de me recandidatar”, disse.

Já quanto ao apoio concedido pelo Governo Regional ao município que lidera, o governante garantiu que tal se tem verificado, nomeadamente em matéria de turismo.

“O governo tem apoiado a Câmara do Porto Santo. Vejamos o que se está a passar com o turismo. Hoje o turismo passou a ser de maio a outubro. Houve vontade de muita gente”, reiterou, destacando em particular a importância do subsídio de mobilidade para os madeirenses

“O turismo regional é muito importante para o Porto Santo”, sublinhou.

Por sua vez, no que diz respeito ao pagamento das dívidas do município no valor dos 5 milhões de euros, o autarca realçou que tal foi importante para o Porto Santo que permitiu investir em diversas obras.

“O Porto Santo até 1978, mais ou menos, foi o lugar mais pobre de Portugal. A partir daí, passou a ser o lugar onde se vive melhor. Porque houve obras. Julgo que estas dívidas foram significativas e importantes para o desenvolvimento. Se não fossem essas obras estávamos com dificuldades”, defendeu.