Tolentino Mendonça indicado para Cardeal já em junho

Miguel Silva e Guadalupe Pereira

Apesar das notícias e da congratulação da Câmara de Machico, a Diocese do Funchal ainda não confirma a nomeação, que cabe ao Papa fazer a partir da varanda de São Pedro.

Adivinha-se mais uma promoção na rápida ascensão do madeirense Tolentino Mendonça na hierarquia da Igreja Católica. O sacerdote, que subiu a arcebispo no dia 28 de julho do ano passado, deverá ser nomeado Cardeal pelo Papa Francisco a partir de 29 de junho deste ano.

A notícia foi avançada pelo jornal Correio da Manhã, mas ainda não é do conhecimento da Diocese do Funchal. Pelo menos pelos meio formais.

Fonte da Diocese revela ao JM que não há ainda uma comunicação nesse sentido, mas acrescenta que também não é esse o procedimento. O habitual, é o Papa proclamar os novos Cardeais a partir da varanda de São Pedro.

Ou seja, até esse anúncio não deverá ser conhecida nenhuma confirmação do Vaticano.

Mesmo assim, aquela fonte acredita que Tolentino Mendonça será um dia feito Cardeal. E se o for agora seria um importante momento de afirmação da Igreja Católica Portuguesa, que passaria a ter cinco cardeais vivos. No caso particular da Madeira, seria o segundo Cardeal, uma vez que já no século XX a Região contou com D. Teodósio Gouveia, natural de São Jorge, Santana. que ascendeu também a esse importante cargo.

Embora sem confirmação oficial, o anúncio da nomeação de José Tolentino Mendonça levou já a Câmara de Machico a saudar novamente o cidadão com maior notariedade daquele concelho.

Numa breve nota publicada ontem na sua página do Facebook, a autarquia liderada por Ricardo Franco “congratula D. Tolentino Mendonça pela nomeação para o cargo de Cardeal, cuja concretização ocorrerá no dia 29 de junho de 2019”. E manifesta “enorme satisfação e alegria por esta decisão do Papa Francisco que, com esta distinção ao ilustre filho desta terra, enche de regozijo a população e o concelho de Machico”.

Recorde-se que José Tolentino Mendonça é cada vez mais uma figura ímpar na Região e no País e não apenas pelo seu papel na Igreja. O madeirense é também um nome importante na cultura, com bastantes publicações onde se tem revelado um ensaísta com muitos seguidores. É também tradutor de importantes obras e um académico reconhecido.

José Tolentino Mendonça nasceu em Machico a 15 de dezembro de 1965. Foi ordenado padre em 1990 mas manteve os estudos e foi mais tarde doutorado em Teologia Bíblica. Já como biblista, investigador, ensaísta e poeta, Tolentino Mendonça ganhou o grau de comendador da Ordem de Sant’Iago da Espada pelo Presidente da República Cavaco Silva, em 2015.

Depois de outras distinções literárias, no início de 2018, o nome do sacerdote madeirense foi ainda mais conhecido por ter sido convidado pelo Vaticano para orientar o retiro quaresmal do Papa Francisco. Meses mais tarde, em junho, o seu nome foi indicado como arcebispo e passou a ser, nessa qualidade a arquivista do Arquivo Secreto do Vaticano e bibliotecário da Biblioteca Apostólica.