Bispo do Funchal dirige mensagem de Páscoa a imigrantes, famílias sem condições e “irmãos da Venezuela”

O Bispo do Funchal, D. Nuno Brás, pediu na mensagem de Páscoa dignidade às famílias que “não encontram condições dignas para existir”, aos “imigrantes que batem às nossas portas e não são acolhidos” e aos irmãos da Venezuela.

“Hoje, Cristo venceu a morte. Aleluia! O nosso coração transborda de alegria”, iniciou.

“O nosso olhar dirige-se para um novo horizonte, a vida eterna. E se a morte foi vencida para sempre, e se Cristo nos oferece a vida, então havemos também nós de procurar vencer o que à nossa volta ainda é resto do mundo velho”, acrescentou.

“Em nós, havemos de, com Cristo e a sua graça, procurar vencer o pecado.

À nossa volta, havemos de propor a todos a vida em abundância que nos vem de Cristo.

E não podemos deixar de tentar modificar tudo quanto ainda é diminuição da dignidade humana: as crianças que não deixam nascer e viver, as famílias que não encontram condições dignas para existir, os imigrantes que batem às nossas portas e não são acolhidos”, prosseguiu.

“O meu pensamento dirige-se, de uma forma particular, para os nossos irmãos da Venezuela. É um pensamento de solidariedade para os que, naquele país, resistem em condições desumanas e não desistem de esperar num futuro melhor com a ajuda da fé”, salienta.

“Queremos estar com eles, e rezar com eles e por eles. Cristo ressuscitou. Esta boa notícia que nos diz que a morte foi definitivamente vencida, sejamos capazes de a transmitir, cheios de alegria a quantos encontrarmos”, referiu.

Concluiu a mensagem desejando “Boa Páscoa” para todos.