Diocese do Funchal vai homenagear D. António Carrilho

A Diocese do Funchal vai homenagear o seu bispo emérito, D. António Carrilho, pelos 12 anos em que foi responsável por esta Igreja local, e pelos seus 77 anos de vida, esta quinta-feira.

“Com Maria-Mãe, Nossa Senhora do Monte, agradecemos ao Senhor o seu empenho e incansável zelo pastoral na nossa Diocese, que serviu com tanta dedicação e sabedoria, simplicidade e alegria, generosidade e amor”, escreveu o vigário geral da diocese insular.

Na mensagem enviada à Agência ECCLESIA, pelo gabinete de informação diocesano, o cónego José Fiel de Sousa convida os sacerdotes e consagrados, os cristãos da Madeira e do Porto Santo, a participarem nos atos de um programa de “profundo reconhecimento e gratidão”.

O atual bispo do Funchal, D. Nuno Brás (que tomou posse como 33.º bispo diocesano a 17 de fevereiro), também vai estar presente na “justa homenagem” a D. António Carrilho que consta na apresentação do livro ‘Memória e gratidão’ e num momento musical, a partir das 19h30, na igreja do Colégio.

Para esta quinta-feira, 11 de abril, dia em que o bispo emérito celebra 77 anos de idade, está marcada uma solene concelebração da Eucaristia, pelas 18h00, na Sé.

Uma Missa para “agradecer e homenagear” o bispo emérito pelo “dom da vida e fecundo ministério episcopal” no arquipélago da Madeira, onde durante doze anos “esteve à frente da querida Diocese do Funchal”.

A 12 de janeiro, o Papa aceitou a renúncia apresentada por D. António Carrilho como bispo do Funchal, que em 2017 atingiu idade determinada pelo Direito Canónico (75 anos) para a resignação ao cargo.

O prelado foi nomeado pelo agora Papa emérito Bento XVI, em março de 2007, para suceder a D. Teodoro de Faria.

Em declarações à Agência ECCLESIA, assinalou que a visita da Imagem Peregrina de Nossa Senhora de Fátima durante sete meses, entre 2009 e 2010, a comemoração dos 500 anos da Diocese do Funchal e dos 500 anos da Catedral diocesana foram os três projetos que marcaram o seu episcopado como bispo do Funchal.

D. António Carrilho foi ordenado padre em 1965 e esteve 12 anos como sacerdote no Algarve; Foi nomeado cónego do Cabido Catedralício da Sé de Faro a 25 de março de 1996 e tomou posse a 2 de fevereiro desse ano.

Depois desse período, esteve integrado em vários serviços da Conferência Episcopal Portuguesa, em Lisboa, nomeadamente enquanto diretor do Secretariado Nacional da Educação Cristã e do Secretariado Geral.

Em 1999 foi ordenado bispo na igreja de São Pedro do Mar, em Quarteira, tendo como lema episcopal ‘Faz-te ao Largo’, depois de ter sido nomeado para auxiliar do Porto, onde esteve oito anos.