Bispo do Funchal: “figuras como a irmã Wilson mostram-nos que a verdade existe”

Cláudia Ornelas

O Bispo do Funchal, D. Nuno Brás, sublinhou a sensibilidade "a Deus”, “à verdade” e “à realidade que se impõe” como características da irmã Wilson.

Uma ‘sala cheia’ assiste, no Colégio de Santa Teresinha, à comememoração do centenário da morte da Fundadora da Congregação das Irmãs Franciscanas de Nossa Senhora das Vitórias.

No seu discurso, Nuno Brás disse que a fé deve ser vivida em qualquer momento da nossa existência e que é necessário deixar que a vida seja transformada a partir da verdade encontrada.

“Há vozes que dizem que não há verdade e que vivemos num mundo pós-verdade. Mas figuras como a irmã Wilson mostram-nos que a verdade existe e somos nós que temos de nos converter a ela”, acrescentou.

E prosseguiu: “a realidade está aí e não podemos deixar de nos comover diante dela”.

Várias entidades governamentais marcam presença nesta atividade que marca o início do ministério do bispo. Entre elas, o secretário regional da Educação Jorge Carvalho, que falará sobre a influência da irmã Wilson na sua vida e o vice-presidente da Câmara Municipal do Funchal, Miguel Gouveia, que está presente na plateia.