Celebrados 90 anos da morte de Madre Virgínia Brites da Paixão

Uma missa diária será celebrada, desde o dia 8 de janeiro, na Igreja de Santo António para comemorar os 90 anos da morte de Madre Virgínia Brites da Paixão. A homenagem decorrerá até 17 de janeiro com a missa solene em Ação de Graças.

Os eventos são destinados a todos os interessados em “agradecer a Deus os dons que concedeu à Madre Virgínia”.

Em nota de imprensa, o Grupo de Oração Conceição Freitas recorda que Virgínia Brites da Paixão como uma mulher de “origem de família humilde”, residente no Lombo dos Aguiares de Santo António, tendo merecido, da parte do bispo D. Teodoro, a abertura de um processo de Beatificação em 2007.

“Nascida em 1860 viveu até 1929 praticando todas as virtudes: Fé; Esperança; Caridade; Humildade; Paciência; Perseverança e Obediência. A sua vida passada em casa dos pais e no Mosteiro das Mercês do qual foi eleita pela sua comunidade, Abadessa, foi exemplar”, lê-se no comunicado.

“Quando em 1910, após a implantação da República, o Mosteiro foi encerrado ela regressou a casa dos pais e retomando no quotidiano a vida segundo as regras do Mosteiro, viveu com o Povo e para o Povo, dando a conhecer a sua íntima união com Deus, a alegria de O conhecer e amar e difundindo a devoção ao Imaculado Coração de Maria”, prossegue o referido grupo.

Sublinha que esta “grande missionária do Imaculado Coração de Maria tornou-se conhecida em toda a Ilha da Madeira, Porto Santo, Açores, no Continente e chegou ao conhecimento do Papa com a mensagem que o Padre Prudêncio, seu confessor, foi pessoalmente lhe entregar”.

A 17 de janeiro de 2019 faz 90 anos da sua morte.

“O Grupo de Oração pela beatificação da Madre Virgínia Brites da Paixão tem vivido momentos de alegria indizível ao percorrer as Paróquias da Ilha, de manhã cedo, aproveitando as missas do parto, para divulgar este acontecimento e sensibilizar para o empenho de todos os madeirenses na construção de um monumento, que será construído após a entrega do Processo de Beatificação no Vaticano, pelo qual, se Deus quiser, a Madre Virgínia será considerada Serva Venerável e depois será beatificada”, informa.

Explica ainda que o “espaço onde será colocado o referido monumento foi proposto pelo CDS-PP no mês de outubro de 2018, no dia de Santa Teresinha e a proposta foi aprovada no dia de S. Francisco por unanimidade na Assembleia Legislativa da CMF e como foi noticiado será a Rotunda ao cimo da Avenida da Madalena em Santo António”.