Papa diz que consumismo "é uma doença" contra a generosidade

Lusa

O papa Francisco definiu hoje o consumismo “como uma doença” que impede as pessoas de serem generosas com quem precisa.

“É uma doença grande, o consumismo, nos dias de hoje. Não digo que todos façamos isso, não, mas o consumismo, gastar mais do que o que precisamos, uma falta de austeridade de vida, tudo isto é inimigo da generosidade”, disse o papa na homilia da missa a que presidiu na Capela da Casa de Santa Marta.

Francisco considerou que para se ser generoso para com os pobres e os necessitados “é necessário pensar nas pequenas coisas” e que todos podem contrariar essa tendência da sociedade com pequenos gestos.

"Vamos fazer uma viagem aos nossos quartos, por exemplo, uma viagem ao nosso armário. Quantos pares de sapatos tenho? Um, dois, três, quatro, quinze, vinte ... cada um pode dizer", realçou incentivando os cristãos a compartilhar com os outros o que não precisam.

“É um modo de ser generoso, de dar o que temos, de compartilhar”, precisou o pontífice.