Bispo do Funchal afastou padre suspeito de abusos

Miguel Silva

Anastácio Alves foi afastado da ação pastoral por alegadas suspeitas de abuso sexual de um menor na Madeira.

É mais um caso que agita a Diocese madeirense. De acordo com o DN-Madeira, o padre Anastácio Alves foi afastado da atividade pastoral como consequência de suspeitas de abuso sexual de um menor na Madeira.

O sacerdote, conhecido pela sua intervenção social há vários anos na Região, já estava fora da Madeira. Exercia em França há vários anos, mas só agora terá sido afastado por decisão do bispo António Carrilho.

De acordo com o matutino, a Igreja madeirense assume a decisão de afastar o sacerdote e explica que o faz "em profunda comunhão com o Papa Francisco" e acrescenta que "repudia e condena a pedofilia e é solidária com as vítimas e com as suas famílias".

Revela ainda a mesma notícia que já em 2005 o padre Anastácio Alves foi denunciado e constituído arguido num processo que viria a ser investigado e arquivado pelo Ministério Público. Mais tarde, o sacerdote madeirense saiu da Região com a Diocese, já liderada por D. António Carrilho, a explicar que Anastácio Alves tinha pedido para ir trabalhar com os emigrantes na Suíça e depois em França.