Papa defende economia que crie trabalhos decentes

Lusa

O papa Francisco pediu hoje aos responsáveis pela economia no mundo que gerem oportunidades de trabalho decente, criticando as políticas laborais que reduzem o número de empregos e criem excluídos.

“A economia não pode pretender apenas aumentar a rentabilidade, reduzi o mercado de trabalho e criar novos excluídos”, referiu Jorge Bergoglio na gravação publicada no âmbito da iniciativa "O vídeo do papa", que aborda mensalmente os grandes desafios do mundo de hoje.

O papa pediu hoje aos responsáveis económicos que "tenham a coragem de recusar uma economia de exclusão" e façam "tudo o que for possível para garantir oportunidades” de trabalho decente.

A economia tem de “seguir o caminho de empresários, políticos, pensadores e atores sociais que colocam a pessoa humana em primeiro lugar", defendeu.

Francisco também pediu que se levante "a voz para que os responsáveis pelo pensamento e gestão da economia tenham a coragem de refutar uma economia de exclusão e saber abrir novos caminhos".