Papa diz que rezar é um diálogo com Deus e não "falar como papagaios"

Lusa

O papa Francisco disse hoje que os fiéis devem evitar repetir orações como “papagaios” por considerar que a missa não pode ser entendida se as rezas não forem entendidas.

O papa falava hoje durante a catequese na audiência geral realizada na Praça de São Pedro, abordando assim o tema já referido na celebração eucarística.

Francisco considera importante que sejam encontrados “momentos de silêncio” para o encontro com Deus e que não é desejável que durante a missa se converse com quem está sentado ao lado.

“Quando vamos à Missa, às vezes chegamos cinco minutos mais cedo e começamos a bisbilhotar com quem está ao nosso lado. Mas não é o momento de bisbilhotar, é o momento do silêncio para preparar-se para o diálogo, é o momento de recolher-se no coração para preparar o encontro com Jesus”, apelou.

Para o Papa "a missa é oração, é a oração por excelência, a mais alta, a mais sublime e, ao mesmo tempo, a mais concreta".

“Lembrem-se o que vos disse na semana passada: Não vamos para um espetáculo, vamos para o encontro com o Senhor e o silêncio prepara-nos e acompanha-nos”, disse.

O papa Francisco, que há uma semana pediu aos fiéis para que não usem os telemóveis durante as celebrações eucarísticas, voltou hoje a criticar comportamentos que fazem da missa “um espetáculo”.

No final da audiência geral, o Papa dirigiu uma saudação a todos os peregrinos de língua portuguesa, vindos de Portugal e do Brasil.

“Queridos amigos, sois chamados a ser testemunhas da alegria no mundo, transfigurados pela graça misericordiosa que Jesus nos dá na Santa Missa. Desça sobre vós e sobre vossas famílias a bênção de Deus”, concluiu.