Faleceu o padre dehoniano madeirense Agostinho Clemente

Hélder Teixeira

Faleceu esta terça-feira, aos 69 anos, o padre Agostinho Clemente, um religioso da congregação dehoniana natural do Estreito de Câmara de Lobos.


O sacerdote do Coração de Jesus faleceu em Vila Real de Santo António, no Algarve, sendo vítima de morte súbita a menos de um mês de completar 70 anos. Segundo a comunidade onde residia, a morte de Agostinho Clemente surpreendeu todos, mesmo tendo em conta o processo terapêutico para superar uma depressão diagnosticada este ano.



Nascido no Estreito de Câmara de Lobos, em 1952, ingressou no Colégio Missionário Sagrado Coração, na Madeira, em 1965, e foi ordenado padre em agosto de 1982, na Sé do Funchal, pelo bispo D. Teodoro de Faria.


Partiu para Madagáscar em 1984 com o primeiro grupo de dehonianos portugueses, permanecendo naquela região da congregação até 2019, servindo por 37 anos a igreja em Madagáscar, quer ao nível da pastoral paroquial, quer na formação nos seminários dehonianos, quer em funções de governo daquela entidade da Congregação dos Sacerdotes do Coração de Jesus.


Desde o seu regresso de Madagáscar, Agostinho Clemente passou a integrar, a partir de setembro de 2019, a Comunidade Dehoniana de Santo António, em Vila Real de Santo António, colaborando na pastoral paroquial das áreas pastorais confiadas aos Dehonianos.