Neste 13 de junho o Bispo de Coimbra alertou sobre uma "sociedade falida"

Hélder Teixeira

Na Peregrinação Internacional Aniversária do 13 de junho no Santuário de Fátima, o bispo de Coimbra, D. Virgílio Antunes alertou para a "sociedade falida'"que desiste de alguém ou que deixa de estar ao lado de quem está "à beira do desespero"


"Uma humanidade com coração de mãe trabalha incansavelmente em favor da justiça, junta os irmãos para que dialoguem, se respeitem e encontrem na sua condição de família os caminhos para a paz", disse na homilia, acrescentando que “O Coração Imaculado de Maria, que celebramos nesta peregrinação, é profundamente inspirador para a humanidade que somos, frequentemente desorientada e perdida nas suas escolhas, nos caminhos de confronto bélico que põe irmãos contra irmãos, nos atentados à vida própria ou alheia, nas múltiplas injustiças perpetradas contra todos os mais frágeis”.


D. Virgílio Antunes disse ainda que uma uma sociedade com "coração de mãe" não pode permitir que alguém chegue ao desespero “diante das dificuldades, das doenças, da pobreza ou da solidão”.


“Uma sociedade com coração de mãe não desiste, pois uma sociedade que desiste de alguém ou que deixa de estar ao lado dos que estão à beira do desespero, é uma sociedade falida”, afirmou o bispo de Coimbra.