Abusos de menores no centro da reunião plenária dos bispos portugueses

Lusa

Os bispos católicos portugueses reúnem-se em Fátima, a partir de hoje, com a questão dos abusos no seio da Igreja em cima da mesa, sendo dada como certa a criação de um grupo coordenador nacional para tratar do tema.

Como admitiu o secretário da Conferência Episcopal Portuguesa (CEP), padre Manuel Barbosa, em 12 de outubro, a Igreja Católica em Portugal vai avançar com a constituição de uma comissão nacional de coordenação das comissões diocesanas de proteção de menores e adultos vulneráveis.

Esta comissão terá como objetivo definir critérios e procedimentos comuns às 21 comissões diocesanas, bem como prestar-lhes apoio, nomeadamente na gestão da informação.

A criação de um manual de procedimentos comum a todas as dioceses e organismos da Igreja perante denúncias de abuso sexual será um dos objetivos do grupo coordenador a ser criado na Assembleia Plenária do episcopado, que decorrerá em Fátima até quinta-feira.

Alguma expectativa foi entretanto criada em torno da possibilidade de, à semelhança do que aconteceu já noutros países, em Portugal vir a ser também constituída uma comissão independente que investigue a situação dos abusos no seio da Igreja no país.

Além da questão da “proteção de menores e adultos vulneráveis”, os bispos portugueses vão debater também, o “itinerário de iniciação à vida cristã com as famílias, crianças e adolescentes”, o sínodo dos bispos que o Papa Francisco abriu em Roma no início de outubro e a Jornada Mundial da Juventude Lisboa 2023.

Durante os dias de reunião, haverá ainda um período de formação sobre o Livro VI do Código de Direito Canónico, sob a orientação de D. Juan Ignatio Arrieta, secretário do Conselho Pontifício para a Interpretação dos Textos Legislativos.

A Assembleia Plenária da CEP vai ficar marcada também, na quinta-feira, às 08:00, pela celebração pelos bispos, na Capelinha das Aparições do Santuário de Fátima, de uma missa pelas vítimas da pandemia de covid-19.