Comissão Episcopal do Laicado e Família assinala Dia dos Irmãos com apelo à fraternidade universal

A Comissão Episcopal do Laicado e Família (CELF) incentivou à fraternidade universal, na mensagem para o ‘Dia dos Irmãos’, que se assinala a 31 de maio.

“A riqueza da fé cristã e do cristianismo, como expressão de uma cultura, é a sua universalidade, capacidade de diálogo e encontro intercultural”, afirma o organismo da Conferência Episcopal Portuguesa, citado pela Agência Ecclesia.

A Comissão Episcopal do Laicado e Família considera que “não faz sentido” a cultura do ódio aos estrangeiros, os preconceitos que “impossibilitam a esperança”, o medo das pessoas de culturas diferentes, a partir da Carta Encíclica ‘Fratelli Tutti’ (Todos irmãos), sobre a Fraternidade e a Amizade Social.

“Reforça a dimensão da fraternidade, não como uma opção entre outras, mas como a solução para o futuro da humanidade”, explicam sobre o documento do Papa Francisco, publicado em plena pandemia de Covid-19.

A CELF convida a assinalar o ‘Dia dos Irmãos’, que se celebra na segunda-feira, nas várias dimensões: “Os irmãos da mesma família, os irmãos da mesma Irmandade, os irmãos da comunidade cristã e os irmãos que são todos os seres humanos, homens e mulheres”.

A mensagem ‘Somos todos irmãos’ refere que a Igreja nasceu como comunidade constituída por “fiéis cristãos que se reuniam para escutar a Palavra, alimentar e fortalecer a sua comunhão de fé e de amor fraterno”

“Ao longo dos tempos, constituíram-se muitas famílias, comunidades, irmandades e confrarias tendo como fundamento a Palavra do Evangelho que a todos fraterniza”, refere o texto, citado pela mesma fonte.

A CLEF alerta que, entretanto, se desenvolveu na sociedade “a cultura do individualismo e da liberdade global”, menosprezando-se o valor da fraternidade.

O organismo da Conferência Episcopal Portuguesa salienta que a amizade entre irmãos se inscreve “no desígnio de Deus”, por isso, a “falta de consideração pelo irmão” leva às situações que “contrariam” o projeto do Criador, como narra o Livro do Géneses sobre os irmãos Caim e Abel, por exemplo.

O ‘Dia dos irmãos’ é uma iniciativa da Confederação das Famílias Numerosas e celebra-se a encerrar no mês da família.

“O principal objetivo é relembrar a importância que os irmãos têm na formação pessoal de todos os indivíduos”, cita a Comissão Episcopal do Laicado e Família, que convida a “acolher esta verdade familiar” como profética para todas as pessoas.