Pedro Calado garante que não vai subir impostos e que não haverá austeridade

Alberto Pita

O vice-presidente do Governo Regional garante que não haverá austeridade nem subida de impostos na Madeira devido à crise criada pela covid-19.

Durante a apresentação hoje, no salão nobre do Governo Regional, do orçamento suplementar para este ano, que fará subir o orçamento inicial de 1.743 milhões de euros para 2.030 milhões de euros, Pedro Calado anunciou que a estratégia será outra e visa reduzir os impostos de modo a atrair investimento nacional e estrangeiro.

“Está fora dos nossos planos fazer qualquer agravamento fiscal. O nosso objetivo é reduzir a carga fiscal”, disse, contando para isso com “a solidariedade” de Lisboa que permita à Madeira reduzir os impostos além da “insuficiente” margem já prevista de 30%.

Durante a apresentação do orçamento suplementar, onde foi feita uma retrospetiva dos dados positivos da economia, Pedro Calado anunciou que a previsão do governo é que a economia regional afunde este ano entre 16% a 20%, mas recupere em 2021 entre 5% a 7%.

O vice-presidente avançou ainda que o desemprego deverá subir este ano para 12% a 17%.

A Madeira deverá fechar o ano com um défice de 7%.