Comandante confirma que Polícia Marítima está a “averiguar” ação de ‘Cristianinho’

Alberto Pita

O comandante da Polícia Marítima da Madeira, Guerreiro Cardoso, confirmou ao JM que a ação de Cristiano Ronaldo Júnior, filho do futebolista madeirense, de pilotar uma mota de água será “averiguada”.

Hoje, a irmã do jogador da Juventus, Elma Aveiro, publicou um vídeo na sua página oficial numa rede social onde se vê o filho mais velho de Ronaldo, atualmente com 10 anos de idade e a passar férias na Madeira, a pilotar sozinho uma moto de água, no Paul do Mar.

A filmagem é feita do interior de um iate onde estão vários adultos e outras crianças, alguns fazendo comentários de incentivo à destreza da criança aos comandos da moto.

“Dá-lhe Cristiano. Faz aí um pião, faz! Dá-lhe, dá-lhe, dá-lhe, dá-lhe. Dá-lhe gás”, ouve-se a voz de uma mulher dizer.

Cristianinho não sabe o que significa fazer um pião e pergunta: “O que é que é um pião?”.

Alguém explica que é um movimento circular na água e a criança executa o pedido, o que suscita a satisfação da mulher que o desafiou.

“Tem juízo, filho”, ouve-se de uma voz feminina mais velha.

O vídeo, que tem a duração de 1m38s, termina com o salto de uma menina para a água para se juntar a Cristianinho. Não mostra, contudo, se a segunda criança chega a subir a moto de água ou não.

Até às 20h00, o vídeo já tinha sido visto por 24 mil pessoas e tinha hiperligações para o visitmadeira, Dolores Aveiro e o próprio Cristiano Ronaldo. Havia ainda 69 comentários, a maioria a felicitar a família.

A ação de Cristianinho está a suscitar controvérsia, pois o jovem ainda não terá idade para pilotar sozinho uma moto de água.

O caso chegou à Polícia Marítima através de uma denúncia onde é questionado se há alguma infração naquele comportamento à luz da lei portuguesa.

Ao JM, o comandante Guerreiro Cardoso confirmou que “pretende averiguar unicamente” o que se passou, e que o jovem “não foi alvo de uma fiscalização” quando pilotava. “Essa foi uma notícia que saiu no jornal e vamos averiguar o que se passa”, precisou.

Sem falar com caso em concreto que está agora a ser averiguado, o comandante adianta, contudo, que “as motos de água não podem ser comandadas por crianças”.

Segundo disse, para pilotar um veículo desta natureza é exigido que o piloto tenha “18 anos e carta de marinheiro”.

O comandante da Polícia Marítima afasta a possibilidade de ouvir a criança.