Paulo Barreto acusa advogados de “incorreta conduta” e de pedirem honorários indevidos

O juiz presidente do tribunal judicial da comarca da Madeira, Paulo Barreto, acusa os advogados de terem uma “incorreta conduta”.

Em resposta a uma notícia do DN, Paulo Barreto, que termina o seu mandato em setembro, refere que “a má prática na Comarca que a notícia retrata deve-se em exclusivo a incorreta conduta dos Advogados. Não há dúvidas que o substalecimento no apoio judiciário só pode ser para um ato concreto. Porém, são os Advogados que, nomeadamente nos processos criminais, vêm com pedidos de substabelecimento para o resto do processo, por vezes fazendo até intervir um terceiro Advogado.”

Acusa, aliás, que “em virtude desses substabelecimentos, que mais do que um Advogado venha apresentar pedidos de honorários para atos que não patrocinaram, o que requer muita atenção dos Oficiais de Justiça que fiscalizam estes pedidos de honorários.”

O comunicado enviado à nossa redação tem ainda uma mensagem para a Ordem dos Advogados. “Para uma melhor Justiça tem que haver um permanente diálogo entre a gestão do tribunal e Ordem dos Advogados. O que sempre sucedeu ao longo dos últimos seis anos com o Senhor Dr. Brício de Araújo. Espero que se mantenha este bom relacionamento agora com novos responsáveis dos dois lados. Não será de bom tom que os muitos mails e telefonemas trocados entre a Ordem dos Advogados e a gestão do tribunal passem a ser notícia, retirando o necessário recato que se pretende para a Justiça.”