POCIF alargado com reforço do investimento em meios humanos e materiais

Realizou-se, esta segunda-feira, na Comissão Especializada de Saúde e Assuntos Sociais, da Assembleia Legislativa da Madeira, uma audição, requerida pelo PSD, ao presidente do Serviço Regional de Proteção Civil, no âmbito da implementação do Plano Operacional de Combate a Incêndios Florestais (POCIF) para o ano de 2020.

Nesta reunião, José Dias referiu o reforço, quer dos meios humanos, quer materiais, em particular na área tecnológica, num investimento que ascende a um milhão de euros, permitindo que as corporações estejam capacitadas para estar no terreno 24 horas, a patrulhar e vigiar a floresta. Uma situação que possibilita atuar com maior eficiência no controlo das ignições, evitando os fogos florestais, com o importante auxílio do meio aéreo.

Neste ano, salientou o presidente da Proteção Civil, o prazo do POCIF foi alargado, tendo em conta os prolongamentos que foram realizados nos anos anteriores, mas também pelo facto de se estar a verificar o adiamento do período das chuvas, o que poderá levar a que os materiais orgânicos sequem mais tarde.

Assim, o POCIF irá abranger o período entre 15 de junho e 30 de novembro.

Mesmo com os novos desafios trazidos pela pandemia Covid-19, que já levou a que todos os operacionais fossem testados, sem registo de infeções, e a que fosse repensado o modelo de formação, segundo José Dias, a Proteção Civil tem todas as condições para estar no terreno.

Além do seguro normal para todos os operacionais, este ano, o Serviço de Proteção Civil realizou um seguro adicional específico para a questão da pandemia.

Entre as questões que se destacam desta audição, fica a defesa da necessidade do meio aéreo ao longo de todo o ano e a importância do investimento na comunicação, seja aquela que é feita entre os operacionais, seja com a população, tendo este ano já sido testado o sistema de avisos e alertas, através de uma SMS, a comunicar o Estado de emergência, e que chegou a 208 mil pessoas.

Para este ano houve já também um reforço no investimento em rádios e consolas para facilitar a comunicação.