Região quer pagar ‘lay-off’ a 100%

David Spranger

O diferencial, entre os atuais 66% e a totalidade, seria, no ‘desenho’ do Governo Regional, suportado por um fundo de compensação, através de verbas regionais.

Miguel Albuquerque disse, então, nas Figueirinhas onde esteve numa visita a uma obra pública, que “penso que é importante, neste momento dizer que nós aguardamos a decisão do governo nacional, que penso que acontecerá na próxima semana, relativamente ao prolongamento da lay-off. A ideia do Governo Regional é o compensar o diferencial para os trabalhadores que estão em lay-off. Vamos ver se se mantém dos 30% [parte da entidade patronal], no sentido de garantir a todos os trabalhadores na Madeira a remuneração integral do seu rendimento. Significa que dependendo dos termos da renovação da lay-off, o Governo Regional irá diligenciar no sentido de garantir um fundo para assegura a compensação através de verbas reginais, do diferencial do rendimento desses trabalhadores”.

Com é sabido, prosseguiu o presidente do Governo Regional, “neste momento o trabalhador recebe 70% do salário, e nós entendemos que é importante garantir o rendimento integral. Porque é uma das formas que temos de assegurar que o rendimento familiar se mantém e que não há contração no consumo”. Ou seja, “que o dinheiro continua a circular na economia. É uma forma indireta de apoiarmos as famílias e forma direta de asseguramos mais dinheiro em circulação”.