SPM quer mesmo calendário para a educação pré-escolar e o ensino básico

Paula Abreu

O Sindicato dos Professores da Madeira entregou hoje uma petição à Assembleia Legislativa da Madeira, com 2.619 assinaturas, da sociedade civil em geral, a defender a aplicação à educação pré-escolar do mesmo calendário escolar do ensino básico.

Depois de terem sido recebidos pelo presidente do parlamento, Francisco Oliveira e Margarida Fazendeiro explicaram aos jornalistas que, na Região e há muitos anos, têm sido aplicados calendários diferentes aos dois níveis de ensino, «o que impossibilita e dificulta a articulação entre o pré-escolar e o primeiro ciclo, nomeadamente em matérias que têm a ver com planificação do próprio ano escolar, com a avaliação das aprendizagens das crianças».

Margarida Fazendeiro disse que o Ministério de Educação está a tentar corrigir esse desfasamento nos dois calendários, sendo que nos Açores já estão definidas as mesmas pausas e interrupções no pré-escolar e no restante ensino. «Para o próximo ano letivo, e após 15 anos, o Ministério de Educação estipula o mesmo início, o mesmo fim e as mesmas pausas para a educação pré-escolar e para o ensino básico». A sindicalista explicou que, «no fundo, a petição que entregamos hoje é nesse sentido, para que o parlamento regional possa dar esta indicação à Secretaria Regional de Educação, uma vez que, ao longo destes anos não tem havido essa abertura por parte da tutela». Contudo, reconheceu que recentemente, o Sindicato teve uma reunião com o secretário regional, Jorge Carvalho, «que mostrou abertura para que assim fosse, mas neste momento desconhecemos a proposta de calendário escolar para o próximo ano letivo».

O Sindicato disse ainda que, caso não haja uma uniformização do calendário, os educadores de infância poderão encetar «outras formas de luta» já no próximo ano letivo.