CDU fala sobre a necessidade “urgente” de intervenção na Ribeira da Tabua

A CDU esteve hoje junto à Ribeira da Tabua, na Ribeira Brava, para protestar pelo facto de 10 anos após a Aluvião de 20 de fevereiro de 2010, “muito ainda estar por fazer nesta localidade para garantir a segurança de pessoas e bens”.

“O Concelho da Ribeira Brava foi um dos mais afetados pela aluvião de 20 de fevereiro de 2010. Dez anos passados, e depois do esbanjamento de muitos milhões de euros da Lei de Meios, verificamos que muito ainda está por fazer. Não é compreensível que existam zonas, afetadas pela intempérie de 20 de fevereiro, que hoje apresentam maior risco para as populações do que há 10 anos. Falamos especificamente da Ribeira da Tabua, onde de facto em determinadas zonas existiu intervenção, mas que continua a não garantir a segurança de pessoas e bens desta localidade”, disse na ocasião o deputado Ricardo Lume.

No entender da CDU, o Governo Regional ao longo dos últimos 10 anos, “canalizou verbas da Lei de Meios para zonas que não eram prioritárias e que nem tiveram prejuízos referentes a Aluvião de 20 de fevereiro de 2010 deixando, zonas de risco por intervencionar”.

Ricardo Lume afirma que a “propaganda” do Governo Regional “garante que em 2020 será realizada a fase da canalização da Ribeira da Tabua”, mas vincou que “as populações querem efetivamente saber, é quando vão ser iniciados os trabalhos e qual a extensão da canalização da referida linha de água pois existem zonas criticas tanto a montante da zona já intervencionada, nomeadamente no Sítio da Madagua e a jusante no Sítio dos Lugares”.

Assim, o comunista rematou que atualmente a “Ribeira da Tabua nas atuais condições continua a representar perigo para pessoas e bens”.