Cafôfo diz que a sua candidatura e o PS são a solução para a Região

Carla Ribeiro

Paulo Cafôfo, ex-autarca e candidato a presidente do Governo Regional, atual candidato a presidente do PS, diz que está aqui "porque quer estar aqui mas porque também sabe que vocês (os socialistas) também querem que eu esteja aqui". Disse que procura dar o seu melhor, deixar uma memória simpática e viver nos corações dos amigos, tal como dizia Mário Soares. Diz sentir que está na luta, que a luta não acabou e que quer dar força ao PS para fazer avançar a Madeira.

A sua candidatura vai-se realizar em três tempos: mobilizar, reforçar a influência política e apresentar ideias novas com novas pessoas. O segundo tempo, o das Autárquicas será essencial para comprovar a marca do PS, que tem de continuar nas Câmaras que o PS tem mas que tem de se alargar a outras.

Cafôfo garante que a sua candidatura é efetivamente a solução para os problemas da Região. Ao atual presidente do PS, manifestou-se grato e deixou vincado o agradecimento pelo trabalho que Emanuel Câmara desenvolveu. começou por dizer que

Sobre a candidatura de Miguel Silva Gouveia à CMF terá o seu apoio a 200 por cento. Dirigiu também palavras de apreço a Carlos Pereira, considerando que o deputado é dos melhores do partido.

“PSD e CDS são uma grande desilusão. São seis meses de grande desilusão”. Apontou em particular a situação do setor da Saúde.

"O partido irá mudar e quero um partido com humildade, visão estratégica. Vamos integrar pessoas que se tenham afastado e que possam regressar. Vou respeitar as estruturas do PS",disse.

Afirmou que brevemente vai a anunciar outras estruturas no partido que quer aberto, dinâmico.

Prometeu um combate às desigualdades, um crescimento de igualdade, de equidade, em que todos possam ter uma oportunidade. Disse também que a sua candidatura defende serviços públicos de excelência, como a Saúde e a Educação e que a Autonomia que não pode servir para aumentar medos e alimentar os boys. Cafôfo considera ser importante uma Autonomia para unir os madeirenses e não para dividir.

Pediu desculpa pelo facto de a sala ser tão pequena para tantos socialistas.