Família de Lourenço lamenta o sucedido

David Spranger

A família de Lourenço Furtado, um dos jovens envolvidos nas cenas de pancadaria na madrugada de domingo, considera que o principal defeito do jovem de 18 anos "é ter um coração enorme e, por ser fisicamente grande, sempre teve esta tendência para sair em auxilio dos amigos".

E terá isso que aconteceu nessa noite. "Poderia ter sido covarde, como outros que estavam de braços cruzados a assistir, ou até a filmar, e não seria ele agora a ser citado como o mau da fita", refere Sofia Furtado, a sua mãe, ao JM.

Diz que havia um jovem, de 17 anos, a ser espancado por um grupo de cinco homens, na casa dos 30 anos, e que o Lourenço, ao sair da discoteca, envolveu-se no sentido de o ajudar. "Se calhar deveria ter sido também covarde e ficar a ver", acrescenta, lembrando que a intromissão do seu filho "poderá ter salvo o jovem".

"De repente, uma rixa de bêbados transformou o Lourenço como o único culpado", lamenta Sofia Furtado, relevando que não será bem assim e que o seu filho apenas reagiu e não foi o catalisador de todo o que se seguiu e que muito importante será saberem que “o rapaz que o agredido não estava inconsciente, mas sim ‘abananado’ devido ao soco que levara”. Tanto é que “logo depois levantou-se e foi bater no Lourenço. O rapaz que ficou mais lesado foi o Tiago, o tal amigo que ele ajudou”. Apesar de tudo, “felizmente ninguém ficou gravemente ferido”, refere.

E embora coresponsabilizando todos os envolvidos nas cenas pouco dignas, considera que o grande problema é de fundo. "Aqueles espaços noturnos deveriam ter outros horário de encerramento, não permitindo que os jovens estejam por ali até tão tarde". Sofia Furtado acentua que "estamos aqui para assumir as consequências e para nós o essencial é que o tudo isto não afete o futuro do Lourenço".

Leia mais na edição escrita deste sábado do JM