Rómulo Mateus aberto a negociação para o Centro Educativo do Santo da Serra

Iolanda Chaves

O diretor geral das prisões lamenta que o edifício construído como Centro Educativo do Santo da Serra, propriedade do Ministério da Justiça, permaneça fechado, sem qualquer uso, e admite uma negociação com a Região se as autoridades regionais tiverem um projeto para o local.

"Estaríamos abertos a encontrar um solução de compensação. Há recursos que precisamos, para gerir a nossa atividade na Madeira, precisamos de todo o concurso que a região Autónoma nos der. É uma dor de alma ver aquele edifício fechado. Tem excelentes condições, foi uma construção robusta, de qualidade. Se houver um projeto interessante, nós somos parte da solução, estaremos do lado de uma qualquer solução prática que aproveite a estrutura ali criada", disse Rómulo Mateus aos jornalistas.

O Centro Educativo do Santo da Serra está desativado e os estudos feitos pela tutela da justiça, segundo o procurador, "indicam que nunca há número suficiente de jovens da Região em internamento, que justique um equipamento tão pesado e dispendioso como é o da justiça juvenil (que é cara e assim é que deve ser)". Por outro lado, aponta o facto de estar situado num local de difícil acesso.