Terreiro recupera ‘ícones’ da gastronomia regional

Legado. Assim se chama o novo projeto do restaurante e gastrobar com o cunho ‘Savoy Signature’. Mais do que servir comida, esta iniciativa gastronómica, que se vai materializar em vários jantares ao longo do ano, propõe uma viagem pela história da Madeira e do Porto Santo, querendo trazer para a ribalta produtos ímpares que a cozinha madeirense tende a não rentabilizar.

A 5 de fevereiro, o primeiro jantar assume-se como um relato gastronómico da chegada dos descobridores à Madeira, fechando também um compromisso com produtores locais que ganham, neste evento, uma oportunidade de elevar o valor das suas culturas.

Autenticidade, sustentabilidade e sabor. Estas são garantias dos jantares Legado que arrancam em fevereiro, replicando-se por vários meses este ano.

O primeiro jantar é um hino aos produtos regionais, assumindo o funcho a posição de estrela. A viagem gastronómica pela história do arquipélago, começa precisamente com um caldo marinho, numa analogia às refeições que os primeiros navegadores serviam a bordo das suas embarcações. Aqui, o gaiado é chamado a ganhar destaque.

Para além do funcho, o projeto legado garante evidência ao coelho do Porto Santo, à francesinha e à sardinha, em homenagem aos povoadores, e ao cuscuz, para “lembrar” João Gonçalves Zarco.

A “festa” não chega ao fim sem celebrar o nascimento do Terreiro, com uma sobremesa e um cocktail confecionado à base de funcho. A fechar, um algodão doce de funcho que promete surpreender.