SDM distinguiu os melhores alunos de Machico (com fotos)

David Spranger

A SDM promoveu na manhã desta sexta-feira a sua habitual cerimónia anual de entrega de prémios escolares, aos alunos do concelho que mais se distinguiram no ano letivo passado. Esta foi a 15.ª edição destes prémios, distinguindo este ano um total de nove alunos que se notabilizaram nesse percurso escolar.

Daniel Franco Nunes, Marta Gonçalves de Sousa, Francisca Paixão de Pão e Kevin Leonardo Gouveia, do ensino básico, e Daniel Jesus Ferreira, Afonso Miguel Freitas, Luís Ricardo de Freitas e Mateus Henrique Teixeira, do ensino secundário, foram os alunos distinguidos, tendo cada um deles recebido um computador. Também existiu um prémio adicional na categoria ‘ensino superior’, na forma de um valor de 1.000 euros, entregue a Sara Raquel Sousa, representada na cerimónia pela sua mãe.

Pela Sociedade de Desenvolvimento da Madeira foi o seu presidente Paulo Prada a fazer as ‘honras da casa’, tendo na ocasião sensibilizado os estudantes no sentido de que “estes prémios que vos estamos a dar não seja um ponto de chegada, mas sim um estímulo para continuarem um percurso, que é longo, mas se conseguiram ser tão bons agora, certamente que o conseguirão ser lá fora, num mercado que concorre à escala global”.

Paulo Prada relevou que “não obstante sermos [SDM] uma sociedade e como tal temos como objetivo natural o lucro, temos também que exercer a nossa responsabilidade com a comunidade onde atuamos. Responsabilidade social, económica e ambiental. E uma das formas que nos apraz fazer é através desta gratificação de premiar o aproveitamento escolar.

Pedro Calado representou o Governo Regional, deixando, também, fortes palavras de estímulo e gratidão aos jovens estudantes, aproveitando a ocasião para dissecar as vantagens da Zona Franca do Caniçal. Lembrou que “aqui não havia nada, era um descampado nos anos 70/80 e foi fruto da grande visão do Governo Regional, para este cantinho da Madeira, num tempo em que havia um único ‘furado’ de acesso, que hoje temos tudo isto”.

E tudo isto é um “desenvolvimento da Região, com empresas que a partir daqui operam para todo o mundo e que criaram mais de 3.000 postos de trabalho, diretamente”. Além do mais, por estas alturas, “14% / 15% das receitas fiscais da Região Autónoma da Madeira são oriundas do CINM

Pedro Calado aconselhou ainda os jovens a “nunca esquecerem as suas origens”, porque “para hoje estarmos aqui, foi percorrido um longo trabalho”, sensibilizando os progenitores para essa constante transmissão da realidade aos mais jovens. “Nada disto caiu do céu”, exaltou.