Natal despede-se hoje da ‘praça dos Lavradores’ (com vídeo)

Cláudia Ornelas

Já é Natal no Mercado do Lavradores e o edifício histórico, no centro do Funchal, veste-se a rigor para assinalar a época.

A uns metros depois da porta principal, encontram-se expositores recheados de ornamentos para pinheiros e presépios. É, contudo, ao descer das escadas que o mercadinho se desenrola, entre convívios familiares e ao som de músicas típicas da quadra.

Aqui unem-se famílias, gente de diversas nacionalidades, sozinhas, ou acompanhados, pois este espaço é de todos. Tal como em outros tempos, trocam-se broas, bolos, bijuterias, flores, alfarrabismo, mas principalmente conversas.

E foi isso que atraiu Lúcia Costa, 51 anos. Veio ao mercado “lembrar as coisas antigas”, pois hoje “não vê as famílias a se encontrarem como antes”. “É tudo mais à base de telemóvel”, lamenta.

Acha, por isso, que o mercado deveria ocorrer mais vezes, precisamente para zelar por uma união que “muita falta faz na casa dos portugueses.

Tal como começa, o mercado acaba; de forma adiantada. Às 21 horas de hoje o Natal despede-se da praça.