Medicina da UMa chega aos 3 anos com “qualidade igual” a Lisboa

Patrícia Gaspar

Universidade da Madeira (UMa) apresentou, hoje, publicamente o processo da extensão ao 3º ciclo curricular dos preparatórios do mestrado integrado em medicina. Para o último trimestre deste ano, o curso que viu a extensão para três anos acreditada pela Agência de Avaliação e Acreditação do Ensino Superior conta com um orçamento de 140 mil euros.

Esta foi uma manhã festiva para a Universidade da Madeira e para os estudantes de medicina que passam, a partir do próximo ano, a poder frequentar os primeiros três anos do curso na Região, podendo os alunos que já frequentam este ensino optar também por permanecer na UMa ou prosseguir estudos na faculdade de Medicina da Universidade de Lisboa.

Para o reitor da UMa, José do Carmo, trata-se, portanto, de um momento importante e que vai implicar algumas mudanças, nomeadamente a criação de mais uma sala de videoconferência.

Já Pedro Ramos, secretário regional da Saúde e da Proteção Civil, considera ser esta a consolidação da porta de entrada dos futuros médicos na Região. O governante recorda que o mestrado integrado em medicina já tem 15 anos, tendo-se consolidado neste período.

“Temos 18 doutorados que irão contribuir para o Departamento de Ciências da saúde da UMa”, sublinhou Pedro Ramos, esta terça feira, garantindo a qualidade da formação.

Na cerimónia desta manhã, participou também o diretor da Faculdade de Medicina da Universidade de Lisboa. Fausto Pinto diz que o apoio à UMa é para continuar e garante que os alunos que entram pelo contingente da Madeira beneficiam extamente do mesmo programa que os estudantes que entram pela Universidade de Lisboa.