Eduardo Jesus: "transporte aéreo é a prioridade de todas as prioridades"

A Região conseguiu elevar o setor a um “patamar nunca antes alcançado”, um destino diferenciado baseado no genuíno, na qualidade e na sustentabilidade. Tudo isto, vinca o governante, não é suficiente, na medida que dependemos das particularidades dos mercados emissores e da geopolítica.

“Registamos perdas e confrontamo-nos com uma maior capacidade instalada no setor. Tudo constitui um desafio que a todos diz respeito”, conclui Eduardo Jesus.

“Como destino insular, dependemos do transporte aéreo. Esta é a prioridade de todas as prioridades e estamos a trabalhar nesse sentido”, garante.

O secretário regional do Turismo e Cultura, destacou ainda, na sessão de encerramento da Conferência Anual de Turismo, o contributo da CAT na formação da “consciência para melhor decidir” e do pensamento estratégico do setor.

Num mundo onde as dinâmicas do Turismo estão a mudar com muita frequência, o governante recordou os novos desafios e a incerteza global.