Históricos e ‘acomodados’ indispostos no PSD: quem não está bem, que saia!

Agostinho Silva

A conjuntura política na Madeira mudou e o PSD e os seus militantes terão de adaptar-se. Os atuais dirigentes já interiorizaram que o conforto das maiorias absolutas não volta mais, sendo necessário preparar as estruturas partidárias para a nova realidade. O mesmo estará a ser feito ao nível governativo. O que significa que já não é possível ter históricos e tanta gente ‘acomodada’, por exemplo sem se empenhar nas campanhas. Quem quiser estar deve fazê-lo a 100%, em vez de praticar apenas a maledicência dos últimos tempos; caso contrário é preferível saírem.

Este é o retrato feito pelas cúpulas social-democratas ao JM no final de uma semana intensa e atípica, com a concretização de um governo inédito de coligação e com a cedência da presidência do Parlamento, mas sobretudo com a ‘dança de cadeiras’ em muitos departamentos governamentais, organismos e setor público empresarial.

Todos os detalhes na edição impressa do JM deste sábado.