Reitor da Universidade da Madeira lança apelo a todas as forças partidárias

Iolanda Chaves

O reitor da Universidade da Madeira (UMa) apelou esta tarde a todas as forças políticas para que, no Orçamento de Estado para 2020, se concretize a majoração do financiamento das universidades da Madeira e dos Açores, que foi prevista na Lei do orçamento do Estado deste ano.

Segundo José do Carmo, que falava na cerimónia de abertura do ano letivo, a referida medida permitirá à universidade madeirense "uma verba adicional superior a 4 milhões de euros".

Com este dinheiro, acrescentou, a instituição poderia definir "uma estratégia de desenvolvimento e modernização, quer ao nível dos seus recursos humanos, da sua internacionalização e do aumento do número dos seus alunos da Região e do exterior, quer ao nível das estruturas de apoio, do reequipamento dos laboratórios e da reabilitação, conservação e alargamento das suas infraestruturas".

O reitor defendeu também, como um dos "três assuntos essenciais para a sustentabilidade e desenvolvimento da Universidade", a necessidade de "garantir que no próximo Quadro Comunitário de Apoio as universidades insulares tenham acesso às mesmas medidas e programas que as suas congéneres do continente, ao contrário do que se verifica no atual quadro em curso".

O terceiro assunto ao qual José Carmo deu ênfase visa a construção de uma infraestrutura científico-pedagógica na Quinta de São Roque, onde pretende também construir uma segunda residência universitária por forma a aumentar a captação de estudantes, nomeadamente do exterior".

"Uma vez o senhor vice-presidente [Pedro Calado] tinha mostrado abertura à viabilização, em conjunto connosco, destas nossas pretensões, esperamos porder continuar a contar com o apoio do novo Governo Regional nesta matéria essencial", lembrou o reitor numa cerimónia que contou com a presença de Miguel Albuquerque.

Referindo-se ao Governo da República (do qual depende a UMa), fez votos para o Ministro da Ciência, Tecnologia e Ensino Superior atenda às necessidades da instituição. "Esperamos que haja um reforço do financiamento e da autonomia do ensino superior e que sejam cumpridos os acordos estabelecidos, nomeadamente os relativos à compensação dos efeitos das alterações legislativas aprovadas, com impacto financeiro", disse.

A escultora Manuela Aranha e a Associação Musical e Cultural Xarabanda receberam este ano o prémio 'UMa reconhecimento' atribuído de dois em dois anos. A oração da sapiência foi feita por Miguel Ângelo Carvalho, professor associado com agregação da UMa, e um momento musical esteve a cargo de Jennifer Gonçalves, aluna de acordeão do Núcleo do Conservatório na Calheta.