Cafôfo na procissão do Caniçal com mensagem política

"Projeto uma governação próxima das pessoas, que seja dialogante e inclusiva. Os desafios que encaramos requerem um presidente que diga presente à discussão democrática porque é debatendo os temas da Região que conseguimos todos somar e fazer mais pela nossa terra", afirmou hoje Paulo Cafôfo, no Caniçal.

Durante a visita à Festa da Nossa Senhora da Piedade, no Caniçal, "Paulo Cafôfo sublinhou a importância das eleições de 22 de setembro para o futuro de todas e todos os madeirenses e porto-santenses", afirma uma nota de imprensa emitida esta tarde pela candidatura.

"Para Paulo Cafôfo, a Madeira precisa de mudar o paradigma de governação com outra postura democrática, que respeite o Governo Regional, o seu propósito, de servir as pessoas, o diálogo e a pluralidade democrática"

Segundo o mesmo comunicado, "o candidato do PS assinala que esta postura soma-se a outras que estrangulam a maturidade democrática, independência institucional e a livre concorrência na Madeira". Diz Cafôfo que "cabe ao Governo criar as condições para um clima empresarial pujante, competitivo, inovador, que estimule a criação de emprego, sempre com o distanciamento institucional que é exigido a um Governo para com os interesses económicos."

"À margem da sua visita ao Caniçal, Paulo Cafôfo reforçou que a Madeira precisa de se libertar da cultura do compadrio, considerando que cabe ao Governo ser um forte impulsionador à iniciativa privada" e que "todas as empresas madeirenses são importantes e, por tal, o favorecimento de A ou B não tem lugar no meu projeto para a Região porque cabe a mim defender os interesses de todos os madeirenses, não só de alguns."

Ainda de acordo com o mesmo comunicado, o candidato "apela à coragem de todos para confiar em si e no PS para uma viragem política na Região".