Filipe Rebelo diz que é preciso adequar a rede de transportes terrestres às necessidades da população

O Partido Democrático Republicano falou hoje sobre a mobilidade urbana na Região Autónoma da Madeira, defendendo uma análise específica a cada concelho, consoante o número de cidadãos e as suas necessidades. Filipe Rebelo disse que a resposta dada pelos transportes públicos precisa de ser adequada e deixou reparos à postura das transportadoras regionais, muitas delas a subsistir com apoios do Governo Regional.

"Muitas pessoas querem usar os transportes públicos e não o fazem porque os mesmos não asseguram horários adequados às suas necessidades. E é por isso que vemos uma cidade com cada vez mais carros particulares e com cada vez mais queixas por parte dos munícipes".

Esta resposta adequada falha também nos concelhos mais rurais. "As pessoas que trabalham até mais tarde, em lojas ou restauração, não têm como chegar às suas casas". Ouvimos relatos de locais onde o último transporte público passa pelas 20h. "Ora, isto não é compreensível nos dias de hoje e muito menos com a aposta que tem sido feita na rede viária".

O PDR não tem dúvidas que com uma melhoria nos transportes terrestres, com mais e melhores transportes, os cidadãos optariam por deixar o carro particular em casa. "Ninguém quer gastar mais, com a manutenção, o combustível ou o estacionamento. Mas se não temos alternativas, temos de andar com o carro próprio...".

Na ação de campanha de hoje, Filipe Rebelo ouviu também os anseios dos profissionais de táxi. Uma classe que se sente cada vez mais 'ultrapassada' pelos serviços de transporte ilegais, mesmo no que concerne ao serviço prestado aos turistas, e com uma carga fiscal que torna difícil obter um bom rendimento.