BE defende medidas para salvaguardar floresta e critica atuação do Governo Regional

Lusa

A candidatura do BE às eleições legislativas da Madeira defendeu hoje a adoção de medidas para salvaguarda do património florestal da região, nomeadamente ao nível do combate às plantas invasoras e às perdas de água para rega e consumo humano.

"É um trabalho que se faz com meios públicos, que se faz de forma permanente, de forma insistente", afirmou o mandatário, Helder Spínola, criticando a atuação do Governo Regional por recorrer sobretudo a empreitadas mais imediatas e descuidar as medidas a longo prazo.

Os candidatos do Bloco de Esquerda percorreram hoje um troço da Levada do Norte, na Encumeada, concelho da Ribeira Brava, zona oeste da Madeira, numa ação de campanha dedicada ao setor do ambiente.

"A floresta tem importância para a captação de água, tem importância para garantir a segurança das pessoas e dos seus bens no caso de aluviões, e além disso tem uma grande importância económica também ao nível do turismo", salientou Helder Spínola.

O mandatário bloquista alertou sobretudo para o avanço das espécies invasoras na floresta laurissilva, Património Mundial da Humanidade desde 1999, e para as perdas de água destinada ao consumo e à rega.

"Nós entendemos que é fundamental - e não tem acontecido esse trabalho - termos aqui, na Madeira, um programa de ação, com medidas, com meios, com recursos humanos, com recursos financeiros para combater as espécies invasoras", disse.

Helder Spínola sublinhou que o mesmo género de políticas deve ser adotado na gestão da água.

"Metade da água da levada [do norte] acaba por não ser utilizada nem na agricultura nem para consumo, porque se perde pelo caminho", advertiu. E reforçou: Entendemos que esse é um problema gravíssimo que tem de ser atacado".

Os bloquistas alertaram, por outro lado, para "incongruências" manifestadas por outras candidaturas no setor do ambiente, na medida em que apresentam algumas medidas contraditórias, nomeadamente a asfaltagem de uma estrada florestal no concelho de São Vicente (norte da ilha), defendida pelo PSD, ou a introdução de mais gado nas serras, proposta pelo PS.

O BE tem um deputado no parlamento regional.

As eleições regionais legislativas da Madeira decorrem em 22 de setembro, com 16 partidos e uma coligação a disputar os 47 lugares no parlamento regional.

PDR, CHEGA, PNR, BE, PS, PAN, Aliança, Partido da Terra-MPT, PCTP/MRPP, PPD/PSD, Iniciativa Liberal, PTP, PURP, CDS-PP, CDU (PCP/PEV), JPP e RIR são as 17 candidaturas validadas para estas eleições, com um círculo único.

Nas regionais de 2015, os sociais-democratas seguraram a maioria absoluta - com que sempre governaram a Madeira - por um deputado, com 24 dos 47 parlamentares.