Edgar Silva: “Não basta que mudem as moscas”

Sofia Lacerda

Edgar Silva, cabeça de lista às eleições legislativas regionais, assegurou que à CDU cabe “esclarecer que não são todos iguais e que é preciso dar mais força a quem está comprometido com a justiça social”.

Lamentando que esteja a ser “alimentada a ilusão de que bastaria mudar de caras, de que seria suficiente substituir uns por outros nas cadeiras do poder”, o coordenador regional do PCP manifestou a sua satisfação por haver uma “crescente consciência de que não basta que mudem as moscas”.

Assim, disse acreditar que, “com a CDU é possível um novo rumo, em que a Autonomia passe a estar ao serviço dos trabalhadores e do povo”.

PS, PSD e CDS são “o trio da desgraça”

Por seu turno, Herlanda Amado, cabeça de lista à Assembleia da República, garantiu que “diariamente demonstramos que os partidos e os eleitos não são todos iguais”.

Mais relevou que “é preciso ter memória e não esquecer que PS, PSD e CDS unem-se em cada ataque feito aos trabalhadores, fazendo com que direitos conquistados pela luta e a pulso sejam roubados pelo trio da desgraça”.

Nesse sentido, a candidata adiantou ser “fundamental e condição essencial que o crescimento eleitoral da CDU e a eleição de mais deputados nestas eleições seja uma realidade, para garantir uma política alternativa que defenda os trabalhadores e o povo”.