Barreto promete combate "sem tréguas" ao desperdício de água

O líder do CDS-PP, Rui Barreto, declarou este sábado, em Câmara de Lobos, uma "luta sem tréguas" no combate ao desperdício de água na Madeira e à tentativa de o Governo Regional colocar alcatrão dentro da Floresta Laurissilva, classificada Património Natural da UNESCO, ao anunciar a construção da estrada entre a localidade das Ginjas e dos Estanquinhos, no Paul da Serra.

"O senhor presidente do Governo, não sei por que carga de água, anunciou que quer rasgar a Laurissilva, a senhora secretária regional do Ambiente concorda ou não com aquilo que disse o senhor presidente do Governo?" - desafiou Rui Barreto, referindo-se à polémica lançada por Miguel Albuquerque ao anunciar que ia construir a Estrada das Ginjas, "custe o que custar". "A senhora secretária diz que é uma acérrima defensora do ambiente mas ainda não se pronunciou sobre isto. Desafio-a a vir a público dizer se está de acordo ou não com esta ligação que querem fazer, dando cabo de uma mancha muito importante dentro do Parque Natural que é a Laurissilva."

As questões ambientais e da sustentabilidade foram o foco das atenções do líder do CDS-PP. "Este tema é um valor para mim e para o CDS", declarou. "A agricultura, a água e o ambiente são temas do nosso programa de governo que eu próprio transportarei para a minha ação política. E por isso peço aos eleitores que comecem a ver quem defende o quê, com convicção, porque serão as convicções e os princípios que vão estar no Parlamento em defesa daquilo que mais interessa aos madeirenses e porto-santenses."

O líder centrista explicou aos vendedores do mercado local a proposta do partido, aprovada em sede do Orçamento Regional de valorização dos produtos regionais, através de um regime específico em que as escolas, lares e hospitais têm de incluir produtos da Região na confecção das refeições. Uma proposta que, acrescenta o CDS, está à espera de regulamentação do Governo Regional e que Rui Barreto considera de "maior importância" porque "garante o escoamento dos produtos aos agricultores, assegura-lhes rendimento, evita a saída de receitas da Região e é um contributo dos agricultores para a preservação da paisagem regional".

"Tenho feito uma defesa intransigente da nossa agricultura e dos nossos agricultores", recordou o líder da oposição. "Primeiro, temos de escoar os produtos regionais", sublinhou para falar de um outro problema ligado à sustentabilidade e que tem sido objecto de várias ações públicas do CDS: "Como é que numa ilha onde há tanta abundância de água temos agricultores, como me foi transmitido ainda hoje, que não têm água para regar? Que o giro de 10 dias passou para 41? Mas temos nascentes a jorrar no mar. Precisamos de investimento nos canais e reservatórios de água. Essa será uma prioridade nossa. Vou investir nos canais de água e nos reservatórios para garantir água para a agricultura. Devemos todos ter a noção da importância dos recursos naturais, e água é um recurso tão precioso que não pode nunca ser desperdiçado. O combate pela sustentabilidade é uma bandeira do CDS que eu levarei para onde estiver. E por isso peço força aos madeirenses para defender este valor."