CHEGA quer mais Serviços de Atendimento Permanente ao serviço da população

Sofia Lacerda

Uma “Saúde mais justa e mais sustentável para todos”, que passe pela reorganização dos serviços, foi o que defendeu, hoje, a candidata do partido CHEGA.

Na apresentação do programa para este setor, junto ao Centro de Saúde do Bom Jesus, Maria Ferreira sublinhou ser necessário “colocar, efetivamente, o foco no utente” e nas “necessidades das pessoas”, com “bons cuidados de saúde primários”.

Considerando que há que “promover uma melhor integração dos serviços de saúde” e que é “prioritário construir um fluxo de continuidade dos cuidados”, a candidata frisou que “o Sistema necessita de ser mais eficaz e transparente”.

“O que é verdadeiramente importante para as pessoas é ter acesso rápido e eficaz aos serviços de saúde, sem demoras ou perdas de informação”, afirmou, acrescentando que um utente não pode ficar meses ou anos à espera de uma consulta de especialidade ou ser referenciado para uma cirurgia e ficar em lista de espera dois, três anos.

O CHEGA também pretende a isenção do IVA em determinados produtos de consumo para motivos de saúde e que haja uma maior consciencialização na ida ao Serviço de Urgência. Assim, o partido propõe a constituição de mais Serviços de Atendimento Permanente (SAP) em diversos espaços, como no Centro de Saúde do Bom Jesus.

Por outro lado, Maria Ferreira salientou a importância de um maior investimento nos profissionais de saúde e de haver um ‘downsizing’ das estruturas com excesso de cargos dirigentes: “precisamos de mais gente a trabalhar e menos gente a mandar”, realçou.