Bloco de Esquerda questiona contrato-programa de 16 milhões

O Bloco de Esquerda (BE) esteve esta tarde junto ao Atalaia Living Care, no Caniço, para questionar o "novo contrato-programa de 16 milhões, quando o Governo já se encontra em gestão corrente".

A porta-voz, Luísa Santos, abordou o custo das camas. "No continente o Estado paga 700 euros por mês/cama, porquê que na Madeira se paga o triplo, 2.130 euros por mês/cama?", perguntou.

"O Governo justifica a entrega aos privados, porque estes fazem mais barato. Mas como assim? Pagando salários mais baixos aos funcionários, exigindo horas adicionais de trabalho não pagas.

E em relação aos internados, vão poupar em quê? Nos medicamentos e na alimentação?", prosseguiu.

"Se os governantes acham que não têm competência para gerir este espaço e que os privados fazem melhor, que se demitam", instou.

O Bloco defende a gestão pública da prestação de cuidados de saúde, "para todos terem acesso".