Orçamento participativo da Região com 2,5M€

Carla Ribeiro

O vice-presidente do Governo Regional disse, hoje, que vai ser alocada uma verba para projetos apresentados pela comunidade. Pessoas, entidades, com ou sem fins lucrativos, terão ao seu dispor, um orçamento de dois milhões e meio de euros. A verba será dividida por todos os concelhos e segundo Pedro Calado é a mais elevada de todos os orçamentos participativos do todo nacional.

Pedro Calado, que deu hoje, início a um ciclo de apresentações do Orçamento Participativo da Região, tem várias sessões agendadas ao longo das próximas duas semanas e que vão cobrir todos os municípios da Madeira, falava no concelho da Ribeira Brava. Pedro Calado explicou aos jornalistas que é a primeira vez que o Executivo madeirense faz um Orçamento Participativo. A ronda explica o que é um Orçamento do Governo, quais as grandes rubricas do Orçamento. “As pessoas têm de entender a importância de se fazer um Orçamento e o porquê de se fazer um orçamento com contas públicas”, considerou o vice-presidente. Sobre a importância de, a partir de agora, o cidadão poder se candidatar a meios para o seu projeto, Pedro Calado disse que “queremos mostrar que queremos um contributo ativo”. "É um ato de cidadania em que pomos as pessoas a apresentarem projetos", revelou o vice-presidente do Governo Regional, explicando que, numa primeira ronda por todos os municípios da Madeira, será explicado o que é o Orçamento Participativo. Será dado um tempo para que as pessoas e entidades pensem nas suas ideias. O Governo voltará a uma segunda ronda por todos os concelhos para fazer a auscultação e a recolha das candidaturas. Após a segunda fase, será feito o processo de seleção e aprovação das ideias vencedoras por cada concelho.

Pedro Calado diz que o apoio máximo pode ir até 150 mil euros por cada concelho, sendo que o Porto Santo tem um valor superior. No valor global, estão reservados dois milhões e meio, "o valor mais elevado de orçamentos participativos que temos no todo nacional", garantiu, o vice-presidente do Governo Regional. Na quarta-feira a apresentação decorrerá na Calheta, enquanto que na quinta-feira, está agendada para Câmara de Lobos. A fechar, o Governo estará no Porto Santo a 27 de julho.