Sensibilização ambiental e prevenção de incêndios na Expomadeira

A secretária regional do Ambiente e Recursos Naturais, Susana Prada, visitará amanhã a Expomadeira, a partir das 18h00.

Este ano, a Secretaria do Ambiente aposta fortemente na sensibilização ambiental e prevenção dos incêndios florestais.

O Instituto das Florestas e Conservação da Natureza, IP-RAM participará na Expo Madeira com a Campanha de Prevenção dos Incêndios Florestais 2019.

"Dada a ocorrência de incêndios na ilha da Madeira durante os últimos anos, que causaram um grande impacto, quer humano quer material, na vida dos madeirenses, e alterado as áreas florestais, a biodiversidade e a paisagem, torna-se necessário dar continuidade à campanha de comunicação dirigida à população relativa à prevenção de incêndios florestais na Região Autónoma da Madeira (RAM).

Tendo em conta que muitas das vezes a negligência humana é a principal causa de incêndio florestal, urge que todos os cidadãos e visitantes da Madeira assumam e pratiquem comportamentos que contribuam para a diminuição do risco de ignição, uma vez que a sua esmagadora maioria, direta ou indiretamente, tem origem em comportamentos humanos", diz o comunicado enviado à imprensa.

Assim, a equipa do IFCN, IP-RAM presente na Expomadeira irá informar e sensibilizar os visitantes sobre a referida campanha, distribuindo materiais informativos e divulgativos dirigidos especificamente para os adultos e para as crianças.

A ARM - Águas e Resíduos da Madeira, por sua vez, vai estar presente no evento para sensibilizar a população para adotar comportamentos ambientais mais sustentáveis nomeadamente a nível da poupança da água, separação dos resíduos e da recolha de montros e verdes.

A Direção Regional do Ordenamento do Território e Ambiente irá dinamizar uma atividade que conjuga alguns fatores chave da sua ação, como o lixo-marinho, os diferentes tipos de resíduos e a sua correta separação.

Numa atividade lúdica, destinada a miúdos e graúdos, uma equipa de profissionais garantirá que todos sairão do nosso espaço mais esclarecidos e conscientes das mudanças que, cada um de nós, pode fazer pelo ambiente numa perspetiva pessoal, global e transversal.