Até 2020, 30% das viaturas da Administração Pública Regional serão elétricas

Susy Lobato

Em 2020, 30% da frota da Administração Pública será composta por veículos elétricos.

Garantia deixada esta manhã pelo vice-presidente do Governo, na Apresentação do Plano de Ação para a Mobilidade Urbana Sustentada.

Pedro Calado referiu ainda que a estratégia para a promoção da mobilidade elétrica da Região é bastante abrangente, pelo que a ideia é também incorporar autocarros elétricos ao serviço de transporte público, proceder à instalação de carregamento elétrico, estando também previsto o lançamento de novas e mais atrativas campanhas de informação e sensibilização públicas.

O vice-presidente lembrou ainda algumas medidas já concretizadas, como o lançamento do concurso público, realizado em fevereiro deste ano, para a aquisição de cinco miniautocarros elétricos, bem como a renovação da frota da Horários do Funchal até 2022, em 129 novas viaturas.

"O objetivo é promover, também, a competitividade dos transportes públicos face ao transporte individual e, desta forma, a qualidade de vida urbana", disse, lembrando que "foi por isso que a Madeira foi também a primeira região do país a implementar a redução dos custos dos passes sociais nos transportes públicos, numa medida que representou um esforço adicional do Governo Regional na ordem dos 8 milhões de euros por ano e que pretende atrair mais utilizadores para os transportes públicos, libertando mais rendimento para as famílias e melhorando a qualidade ambiental na Região".

"Pelos resultados alcançados em abril de 2019, e comparando com o mesmo mês do ano anterior, verificamos um aumento na procura de passes na ordem dos 34%", disse o governante, explicando que o novo plano servirá como um instrumento de suporte à implementação de ações inovadoras e até revolucionárias, como as que preveem, por exemplo, a implementação de um sistema de bilhética integrada, o desenvolvimento de planos de mobilidade escolares, a disponibilização de informação sobre o sistema de transportes públicos em tempo real, através de painéis, de aplicações móveis e online, a implementação de medidas que promovam a racionalização do transporte individual como o carsharing e o carpooling e, entre muitas outras, a criação de um serviço de transportes públicos vocacionados para os turistas.