“17 grandes construtoras estiveram a trabalhar na Madeira nos últimos anos”, Pedro Calado

Na ALRAM discute-se o quadro plurianual de programação orçamental para os próximos quatro anos, mas o vice-presidente vai assiduamente sendo chamado a tecer esclarecimentos colaterais.

No âmbito da apreciação na generalidade da proposta de Decreto Legislativo Regional intitulada ‘Aprova o quadro plurianual de programação orçamental para o período de 2019 a 2023’, que vai decorrendo na tarde desta quarta-feira, Pedro Calado voltou a frisar que “a previsão é feita de forma exemplar”, salientando que “esta Região não gasta mais do que aquilo que tem de receitas”, conforme atestou através da Conta da Região referente a 2017, que esteve em análise na véspera.

O vice-presidente do Governo Regional voltou, também, a refutar a ideia que a oposição vai tentando fazer passar de favoritismo a determinadas empresas, no que respeita a obras públicas, exaltando que “17 grandes construtoras estiveram a trabalhar na Madeira nos últimos anos”. E, “mesmo as grandes empresas dão depois subempreitadas outras empresas, criando postos de trabalho e dando muito emprego”, conforme complementou.