CDU receia que “alguns partidos tenham uma cara na Madeira e uma outra em Lisboa”

David Spranger

Em causa estão as alterações ao subsídio de mobilidade, com os comunistas a acusarem outras forças partidárias de terem propostas paralelas para desviar atenções e atraiçoar o que foi aprovado na ALRAM.

O ministro com a tutela dos transportes vai terça-feira próxima à Assembleia da República, a pedido da CDU, para abordar as solicitações da Região à alteração do modelo de subsídio de transporte aéreo solicitada pela Região.

O documento aprovado na ALRAM vai estar em análise, mas a estrutura regional dos comunistas acusou, na manhã desta quinta-feira pela voz de Edgar Silva, em conferência de imprensa, partidos como PS, PSD e BE de se prepararem – “existem fortes indícios disso” - para “atraiçoar a palavra dada no Parlamento Regional, aceitando outros cenários, ao contrário da CDU que defende, de forma intransigente, a proposta regional.

Entre esses indícios, os comunistas evidenciam que “na primeira votação realizada na Assembleia da República, onde o PS votou contra a proposta da Madeira, como pelo facto de outros partidos, em lugar do envolvimento na defesa da proposta aprovada por unanimidade, aqui na Região, preparam-se para baralhar o processo através de propostas paralelas à da Madeira”, daí “crescendo as preocupações quanto a um quebrar da palavra dada nesta Região.

Ou seja, referem os comunistas, “é de temer que certos partidos tenham duas caras, uma na Madeira e outra em Lisboa”.

Ao contrário da CDU que “em defesa do superior interesse regional e para honrar a palavra dada na Região” irá se manter fiel ao que aqui foi aprovado, na base do adiantamento único dos 86 euros, numa questão que é também de ”coerência e que deveria requerer um total envolvimento na defesa e aprovação da proposta que agora será votada na Assembleia da República”, em vez de apresentar essas eventuais proposta paralelas.