'Raízes do Atlântico' recebeu 11 mil pessoas em três dias

"Mais uma vez, cumpriu-se a tradição e tivemos um Festival de qualidade, que excedeu as expectativas, surpreendeu o público e que, naturalmente, deixa a certeza do seu regresso, em 2020".

A afirmação é da Secretária Regional do Turismo e Cultura, Paula Cabaço, que, na noite deste sábado, marcou presença no encerramento do festival 'Raízes do Atlântico', evento que, em três noites consecutivas, de quinta-feira até ontem, atraiu, à Praça do Povo, cerca de 11.000 pessoas.

A SRTC refere, em comunicado, que este é um número que satisfez a secretária, até porque "é também com o público e graças a todas as pessoas que assistem e que participam, ativamente, nestas realizações, que os nossos eventos se afirmam e enriquecem, em cada uma das suas edições, precisamente para corresponder ao que esperam de nós". Paula Cabaço aproveitou, igualmente, a ocasião, para sublinhar "o papel e o importante contributo de todos os que colaboraram para a realização de mais este grande cartaz cultural", fazendo questão de realçar, ainda, a "singularidade" do evento, um festival diferenciado que acaba por promover a celebração da música de inspiração tradicional do Atlântico.

Recorde-se que o festival 'Raízes do Atlântico' arrancou, este ano, na passada quinta-feira, com as atuações do grupo madeirense Banda D'Além e do grupo 'Ronda dos 4 Caminhos', às quais se seguiram, na sexta-feira, os espetáculos de os Mariachi México, também da Madeira e do cabo-verdiano Tito Paris.

Já ontem foi a vez da cantora e compositora nacional Maria Fura subir ao palco, numa noite que encerrou, com chave de ouro, através de um grande espectáculo que trouxe à Madeira a reconhecida cantora brasileira Mart'nália.