Barreto desafia Cafôfo: “qual é o hospital privado que quer comprar?”

O líder do CDS-PP; Rui Barreto, desafiou hoje o candidato do PS às eleições regionais, Paulo Cafôfo a anunciar “qual é o hospital privado que quer comprar por 75 milhões de euros”

A juntar a este repto, o líder do CDS pergunta a Cafôfo “quantas camas tem esse hospital”. O objetivo do desafio, justificou Barreto, é “percebermos qual a negociata que está a ser preparada com o dinheiro de todos os madeirenses".

Foi esta a reação do CDS às declarações do candidato do PS às eleições regionais de 22 de setembro feitas durante uma entrevista na qual manifestou a intenção de “comprar de um hospital privado para resolver as listas de espera”.

“O candidato socialista repetiu a mesma ideia na tarde do último domingo, ainda que o tenha feito de maneira mais comedida, durante o lançamento da sua candidatura às eleições regionais”, frisa o partido.

Rui Barreto acrescenta "estranhar" o anúncio de Paulo Cafôfo e passa a explicar: "Nunca vi por parte do candidato do Partido Socialista uma única palavra sobre o incumprimento por parte do Governo da República para a construção do novo hospital da Madeira", nota o líder democrata-cristão. "Vem agora dizer que quer adquirir um hospital privado. O que isto me parece, de facto, é uma negociata”, declara.

O partido reitera que Paulo Cafôfo “nunca se referiu à falta de cumprimento do Governo da República dos prometidos 50% para a construção do novo hospital”. No entanto, acrescenta, Rui Barreto, o candidato do PS “diz que vai utilizar o dinheiro dos contribuintes para comprar um hospital privado”. “Péssima resolução", sublinha o líder do CDS.

Barreto recorda que a Região tem sete blocos operatórios hospitalares e mais quatro em sistema ambulatório. E aponta uma solução: "O que nós precisamos é de mais cirurgiões e anestesistas e de um plano sério para a recuperação das listas de espera".

"No jogo do Monopólio os jogadores têm o dinheiro da caixa do banco e vão adquirindo casas, ruas e prédios. Mas o dinheiro dos contribuintes não é o jogo do Monopólio”, lamentou.

O CDS reforçou ser necessário uma “resposta imediata no atual hospital” e o “cumprimento dos prometidos 50% por parte do Governo da República” para a construção do novo hospital.

Rui Barreto alerta: “é preciso clareza nos nossos propósitos e naquilo que vamos fazer".

Por último, o CDS recorda que o Serviço Regional de Saúde da Região (SESARAM) tem um total de 700 camas hospitalares (Hospital Dr. Nélio Mendonça e Hospital dos Marmeleiros) e que há “apenas uma única unidade hospitalar privada na Madeira” com as 100 camas referidas por Paulo Cafôfo.