Albuquerque diz que Costa 'veio à colónia meia-hora falar com os pategos'

Iolanda Chaves

Miguel Albuquerque disse este domingo, no encerramento da 22.ª Festa da Cebola, no Caniço, que António Costa 'veio à colónia, meia-hora falar com os pategos'.

O presidente do Governo Regional reagiu assim à vindo do primeiro-ministro à Madeira, durante a manhã, na qualidade de secretário-geral do PS para participar numa ação de campanha do partido para as 'eleições europeias'.

“Estava à espera que ele viesse dizer quando é que metia ordem na TAP e a TAP começava a praticar preços decentes para a Madeira. Também estava convencido que ele vinha à Madeira para dizer que ia acabar de cobrar os juros vergonhosos que os Estado português cobra aos madeirenses e portossantenses. Os 12 milhões de euros a mais que pagamos seriam importantes para apoiar as nossas escolas e os nossos agricultores”, declarou.

Miguel Albuquerque disse ainda que esperava que Costa explicasse “porque é que ainda não fez a revisão do subsídio de mobilidade”, uma responsabilidade do Estado com três anos de atraso.

Albuquerque acusa o primeiro-ministro de ter dito “uma inverdade” relativamente à taxa de execução dos fundos comunitários por parte da Madeira. “Ele não é muito bom em números. A Madeira tem uma execução dos fundos comunitários e compromissos superior à nacional”, afirmou.