Jorge Carvalho desfaz equívocos em conferência na UMa

O secretário regional de Educação propôs-se desfazer, em conferência que proferiu na tarde desta sexta-feira, na Universidade da Madeira, "três equívocos recorrentes sobre a situação da Educação na Região", propondo uma "avaliação rigorosa do sistema educativo da Madeira".

Jorge Carvalho falava na conferência 'O Estado da Educação na Madeira', promovida pelo Centro de Investigação em Educação da UMa, e referiu-se às perceções incorretas sobre o abandono escolar, o rendimento dos alunos e o número de licenciados.

Sobre o primeiro item, depois de distinguir abandono escolar e abandono escolar precoce de educação e formação, apresentou dados e indicadores estatísticos que demonstram que o primeiro é residual ao nível nacional e regional, e que o segundo atingiu na Região o valor mais baixo de sempre (17,3%) a 5,5 pontos percentuais do valor nacional (11,8%). Em 1998, essa distância era de 7,5 pontos percentuais, o que indica que a velocidade de decréscimo da taxa foi maior na Região, sublinhou.

Quanto ao equívoco relacionado com o rendimento escolar, apresentou dados que evidenciaram a melhoria significativa tanto da taxa de retenção e desistência no Ensino Básico, como da taxa de transição e conclusão no Ensino Secundário. Esses dados sustentaram a afirmação de que há uma melhoria contínua do aproveitamento dos alunos e uma convergência com os mesmos a nível nacional.

Jorge Carvalho apresentou ainda dados que demonstram que a Região tem uma percentagem de licenciados, no grupo etário 30-34 anos, ligeiramente superior à nacional (33,8 / 33,5), o que não se verifica no grupo etário 25-64 anos, em que a percentagem nacional é superior à regional (25,0 / 21,2); também neste item destacou a convergência com os dados referentes ao país.

A finalizar a sua intervenção, o secretário regional de Educação apontou como perspetivas de desenvolvimento do sistema educativo regional "o aprofundamento das potencialidades decorrentes da Autonomia" e "a convergência com os indicadores nacionais e as metas europeias".