MPT alerta para "utilização ilegítima e abusiva" do seu nome no âmbito das europeias

O MPT Madeira alertou, em comunicado, para a "utilização ilegítima e abusiva" do seu nome no âmbito das eleições para o Parlamento Europeu.

O partido revela que "não se revê, nem apoia a candidatura de Paulo Morais, que concorre a estas eleições europeias pelo partido Nós Cidadãos, com o apoio de José Inácio Faria, ex-presidente do MPT."

"O MPT Madeira recorda que a 27 de outubro de 2018 a Comissão Política Nacional, por unanimidade, retirou a confiança política ao sr. José Inácio Faria, tendo o mesmo sido comunicado à comunicação social e aos órgãos onde o referido senhor representava o MPT, Parlamento Europeu e Assembleia Municipal de Lisboa", refere a mesma nota.

O MPT acrescenta que, "ao contrário do que vem sendo anunciado por alguma comunicação social e pelas redes sociais, o MPT não concorre a estas eleições, nem apoia qualquer partido ou candidato".
O Partido da Terra Madeira encontra-se a aguardar "serenamente" a decisão do Tribunal Constitucional, pela decisão de anotação da direcção do Partido, presidido por Luís Vicente, cujo mandato foi confirmado em Congresso Nacional a 24 de março de 2019.

"Por estas razões o MPT Madeira demarca-se veementemente das candidaturas de qualquer força política concorrente ao Parlamento Europeu", acrescenta a nota, sublinhando que o partido "não aceita que na política, possa valer tudo e que a cegueira pelo poder e pelo dinheiro falem mais alto, comprometendo a imagem púbçlica do partido e, muitas vezes, destruindo projectos com sustentabilidade".